Tocando a vida

SER FELIZ DE A A Z


A proposta de hoje é uma jornada em direção à próxima versão de você mesmo! E eu acredito que isso terá que ser feito com paixão...
Em meu livro Tocando a Vida eu faço um passeio sobre como você pode se apaixonar por si mesmo exatamente como se apaixona por outra pessoa.

Comece a prestar mais atenção em você, primeiro na aparência, refazendo uma possível idéia de que você não vai muito com a sua própria cara... exatamente como faz ao conhecer alguém que interessa. Ninguém é perfeito, portanto, não se ache pronto, sempre há algo para se melhorar.

A partir daí, é possível fazer um projeto chamado você, tratar sua vida com mais zelo e cuidado, em toda a sua extensão e significado.
O percurso é único, mas existem muitos guias, muitas dicas, você escolhe.

Tem que iniciar elevando o grau da auto-estima. E o que é auto-estima afinal? É uma questão de grau, todo mundo tem, por quê? Porque ela é formada de autoconceito (auto imagem), autovalorização. Portanto todos temos algum conceito de nós mesmos, e se ele for bom a auto estima também é, só que a valorização que fazemos do nosso auto-conceito muda durante a vida.

É preciso fazer uma melhor idéia de você mesmo, para poder olhar no espelho e acreditar que você é alguém muito especial. Quando você se apaixona por outra pessoa, você nem repara nos pequenos defeitos, tudo que ele faz é lindo, é perfeito, não é assim? Como fazer isso com você mesmo?

Elevar a auto estima é ter mais consciência.

Não é o que acontece a nós que dá forma ao que somos, mas o que acontece dentro de nós é que faz a diferença.

Ao olhar para si, olhar para dentro, perceba que a sua beleza interior significa ser rico de personagens e vivências que merecem uma história, que podem virar um livro ou um filme. E conte com essa multiplicidade para ter mais recursos quando precisar.

Não preciso ser o presidente de uma empresa para ser protagonista. Há um herói em cada um de nós, uma viagem que começa com o nascimento e que segue se encontrando com a tristeza e limitações. Mas também pode conter o significado, desenvolver o caráter e aprender a sabedoria.

Quando surgem dificuldades, o herói de sua própria história avalia o que pode fazer, decide o que fará e se comporta de modo coerente com seus valores. Você decide se cresce ou se é diminuído por aquilo que fez ou que não fez, ou pelas atitudes que mantém. O que sentimos e como reagimos determina quem somos muito mais que a grande adversidade que encontramos. 

Você já tentou contar a sua história pra alguém? Aproprie-se da sua trajetória, escreva, re-conte para você, veja o quanto você fica orgulhosa desse filme que você produz, protagoniza e se quiser, dirige.

Tente ser congruente por dentro e por fora, alinhando palavra e ação numa comunicação saudável com você mesmo e com as outras pessoas ao se comunicar. Ter credibilidade ao passar sinceridade. Tente falar não sorrindo, por exemplo. É quase impossível. Incongruência é dizer não quando se quer dizer sim e o oposto também não deve valer.

Se você gosta de você mesmo, pode até dizer não a alguma coisa, mas deve poder dizer sim para a pessoa, respeitar as diferenças e saber que na essência, todos são iguais, mas podem fazer coisas diferentes.

Ao se comunicar verbalmente, seja capaz de dizer não quando o que for pedido estiver contrariando sua autonomia. Ajuste o equilíbrio do sistema da homeostase pessoal, (homeostase é equilíbrio), retornando a um estado ideal, não apenas mudado, mas transformado.

A tendência hoje em todas as áreas do conhecimento é aquilo q leva a integração, conexão, globalização, universalização. Achar o eixo, ponto de equilíbrio. Homeostase não é paralisia é alinhamento, balanceamento.

Hoje já se fala em uma inteligência além da emocional – a inteligência moral, que é a capacidade mental de determinar como os princípios humanos universais devem ser aplicados às nossas ações. Um compromisso moral que serve como guia para nossos passos cotidianos.

Um dos maiores desafios para o futuro é lidar com pessoas que não agem assim e têm mais poder do que você. Como você lida com atitudes que você vê no trabalho, como imorais, mas que não são ilegais? E com a família?

Ninguém é imoral, mas pode fazer ações imorais.

Equilíbrio não é exigir perfeição – mas integridade – que se tenha a coragem de defender o que é certo. Quando você age assim, começa a absorver a idéia de que suas escolhas importam, e muito. Essa é sua vida e você precisa tratá-la com a reverência e a seriedade que ela merece. Integridade aqui significa paz de espírito. Com a integridade vem a inteireza.

Simboliza a experiência de sermos inteiros, completos: usar razão e emoção na justa medida, ter ótimos momentos com as pessoas e sozinhos, saber usar intuição e a analise objetiva nos momentos mais indicados, relacionar-se e sentir-se livre. Saber quando atacar e quando defender, transitar entre dois pólos e dois sistemas com a mesma sabedoria.

Cada vez mais inteiro, tenha flexibilidade para trocar sabedoria com outros sistemas que for se conectar adapte-se e crie maleabilidade.

Conheça mais sua maneira de experimentar o tempo, crie sua linha do tempo própria para trabalhar com as idas e vindas das experiências sem protelar ou se sentir ansioso. O movimento é continuo: olhar para dentro para em seguida olhar para fora. Ouvir os sons internos e externos e criar harmonia dentro e em volta de você.

Quem planeja muito ou quem só tem olhos na meta, perde tudo que é bonito no caminho, a viagem, a paisagem do lado. Quando chega o futuro, não guardou nada.

Saiba quais são as emoções positivas para se contagiar com elas e não se deixar contaminar por aquelas que prendem seu desenvolvimento. Mantenha-se ativo e, assim, tenha jovialidade para compartilhar o que pode e o que sabe com os outros, aumentando a liberdade de se ter autonomia, seguir o destino como uma missão e não como um castigo. Elogiar-se mais pelas conquistas e perdoar-se mais pelo que não deu tão certo.

Para isso, é importante manter um distanciamento saudável, seja das emoções quanto dos relacionamentos, e do ambiente de trabalho. Distanciamento saudável é aquele ponto que você encontra a partir do qual pode avaliar melhor o todo, e não só ficar mergulhado numa parte da questão.

Assim devemos ser com nossos parceiros, colegas, amigos, família e com a gente mesmo.

Para isso, é preciso conhecer os motivos que sustentam essa caminhada e suas metas, suas motivações, principalmente as mais elevadas, aumentando os circuitos de raciocínio, de memória e de aprendizagem do cérebro.

Se eu falo em caminhada, penso que ela sempre começa com um primeiro passo. E quem sustenta esse passo são os meus pés, que estão ligados às minhas pernas, ao meu tronco, aos meus braços, à minha cabeça.

Meu corpo é um sistema que está ligado à minha mente e às minhas emoções. Não é possível mudar um sem que o outro seja afetado. E se você cuida mais de um sistema, o outro vai reclamar. Principalmente o corpo: ele nos dá feedback sobre nosso estado o tempo todo.

Se não ouvirmos ele fala mais alto, adoece, deprime, paralisa.

Seja otimista por natureza, e ria de si mesmo para diminuir a excessiva importância daquilo que realmente não importa tanto.

Junte a isso um grande respeito pelo ambiente e a melhoria da qualidade de viver neste planeta. Seja gentil com a natureza e consigo mesmo, permita-se um carinho, um abraço. Cuide mais da sua saúde e se dê conforto quando tiver problemas. Um colo, um cafuné, um beijo...

Tenha esse sentimento arrebatador de PERTENCER integralmente a uma comunidade de iguais, a uma raça de parceiros, a um universo.

Cooperando e sonhando com um mundo perfeito, composto de imperfeições magníficas, que, se imaginadas com todas as suas possibilidades nem chegarão perto da completude do que se mostrou ser.

Esses não são somente meus votos, mas os valores que eu acredito possam mudar o ano, as pessoas e a vida!

Seja Feliz Sempre! Sonia Blota Belotti